Aquilo que nunca ninguém te disse sobre o wordpress é que, muito do que se diz por aí são apenas mitos do WordPress! Existem muitos equívocos e ideias mal explicadas que levam os utilizadores em erro sobre sites em wordpress.

Pode ser que quando ouviste falar de sites em WordPress através de amigos ou mesmo na internet, tenhas ficado com a sensação de que é tudo muito fácil e rápido, e que fazer um site em WordPress é muito simples e barato. A tudo isso só te posso dizer: Depende! Depende de muita coisa.

Não podias estar mais errado se achas que qualquer site em WordPress é fácil e barato! E por isso decidimos escrever este artigo para des-mistificar alguns equívocos que existem sobre o WordPress para não teres ideias erradas e veres se realmente te interessa ter um site em WordPress. Porque nem tudo é como te dizem ou te parece.

 

wordpress à lupa

WordPress é fácil.

Verdade, se só tiveres de colocar conteúdos no backoffice, sob a forma de páginas simples ou artigos de blog, mas lembra-te que eles não se inserem sózinhos. E alguém já teve de instalar e configurar o wordpress para ficar a funcionar de forma estável e segura.

Caso tenhas um site mais complexo, com loja ou outras funcionalidades, deixa de ser assim tão simples.

Mesmo só como gestor de conteúdos vais ter de saber como é que o sistema funciona para que possas construir novas páginas e conteúdos e manteres o site rápido. Até as imagens que introduzes não devem, nem podem ser de qualquer forma ou feitio. As imagens têm de ser sempre optimizadas para web senão o teu site não “anda”.

Na verdade não é só instalares a última versão do WordPress e já está feito o site! As coisas não aparecem feitas nem nos sítios certos e com o aspecto que queres por milagre. Se seguires as instruções e instalares o WordPress no teu alojamento ficas com o esqueleto base para um site. Uma vez que é de graça qualquer um pode fazê-lo. Mas depois falta toda a “skin” do site para o fazeres teu, faltam todas as funcionalidades que queres ter, falta a tua marca e o teu estilo. Tens de ter o teu próprio “look-and-feel” senão o teu site é igual a todos os outros.

Actualizar o WordPress está apenas à distância de um clique.

MUITO ERRADO! Podes ter ouvido esta por aí, muitas muitas vezes, mas não é verdade. Experimenta fazer isso num site qualquer que não tenha sido actualizado nunca, ou mesmo só no espaço de um mês ou dois e vê o que acontece. Não é assim tão simples, embora à primeira vista possa parecer. A primeira coisa que tens de fazer antes de mais nada é criar um backup completo do site como está – ficheiros e base de dados – e guardar esse backup religiosamente. Se alguma coisa não correr bem vais precisar dele.

Depois tens de ver o que mudou em cada coisa que tens de actualizar – o sistema WordPress, os plugins instalados e o tema instalado. Cada um deles actualizou pontos da sua programação e integração e, é preciso garantir que todos estão compatíveis uns com os outros para continuar tudo a funcionar bem.

Como fazer os Updates?

Todos os plugins e temas têm um “changelog” que te diz o que foi alterado, retirado ou acrescentado.

Deverás correr todos os updates, um a um, para poderes perceber, caso haja algum erro, de onde ele surgiu e qual dos updates o causou.

Os updates menores e updates de segurança do próprio sistema WordPress são efectuados automaticamente a não ser que os tenhas bloqueado (não é aconselhável bloquear estes updates). São pequenas afinações do sistema, que geralmente não implicam mudanças a nível de integração com os plugins e o tema e, são essenciais para a estabilidade e segurança do sistema e do servidor, por isso são automáticos.

Tudo o que são “major updates”, vão aparecer-te uma indicação no backoffice do WordPress a alertar-te que tens de actualizar. E dizem-te tudo o que mudou para perceberes se é seguro correr esse update no teu site com tudo o que tiveres instalado.

Nos plugins e no tema as actualizações não são automáticas. Terás de ser tu a escolher quais deves fazer consoante te aparecem no backoffice informações sobre as mesmas.

Logo: Actualizar o WordPress NÃO é fácil e rápido.

Se tudo correu bem depois de correres todos os updates, maravilha! Estás livre e podes seguir com a tua vida. Se alguma coisa correu mal e o site não ficar como estava antes… tens de voltar atrás. Repôr o backup, saber o que correu mal, e o que tens de fazer diferente para ficar bem. E voltar ao início.

Mesmo quando tudo corre bem demora o seu tempo a fazer, e se corre mal pode demorar mesmo muito tempo.

Ao saltares muitos updates porque só os fazes de longe em longe, corres o risco de passar por cima de muitas versões intermédias que deverias ter instalado primeiro. Quando fazes qualquer actualização através do backoffice, clicando o botão “Actualizar”, só vais buscar a última versão, passando por cima de todas as outras. Isso poderá criar problemas. Algumas das actualizações que ficaram pelo meio podem ser importantes e deverias fazê-las por ordem, antes de correr a última. Por isso não está apenas à distância de um clique como se diz por aí.

Tudo é fácil quando corre bem.

O WordPress não é seguro!

Talvez fosse verdade há 10 anos atrás, mas hoje em dia não é bem assim. O WordPress tem evoluído constantemente e está cada vez mais estável e mais seguro, tal como qualquer outro site. É utilizado em todo o tipo de sites e não só blogs, como podes julgar.

O que é fundamental no wordpress é manteres todo o sistema actualizado e estás seguro. E teres um bom alojamento. O alojamento é fundamental para todo o sistema do wordpress. Não serve qualquer alojamento básico como muitos te querem vender.

Podes ficar descansado que hoje em dia o WordPress é tão seguro como qualquer outro site.

O wordpress é lento. E quantos mais plugins pior.

A primeira parte da frase é mentira, a segunda já pode ser verdade. Depende dos plugins que instalas.

Não existe nenhum limite no número de plugins que podes instalar sem tornar o site lento. Tudo depende do tipo de plugins que estás a instalar. Alguns podem de facto tornar o site muito lento e até podes ter só um plugin instalado e o teu site ficar lento. Tem mais a ver com a qualidade, funcionalidade e fiabilidade do plugin do que propriamente da quantidade.

Tens de utilizar apenas plugins que sejam bem programados, com código limpo, actualizados com regularidade. Deverás verificar se corresponderem às melhores práticas de programação. Podes ter dezenas de plugins e não notares grande diferença na velocidade de carregamento do teu site.

Mas deves ter em atenção e não instalares plugins que tenham demasiadas chamadas de HTTP, que criem demasiadas queries de base de dados, ou que consumam demasiado processamento do servidor. Para isso tens de perceber o que estás a fazer ou já conhecer alguns plugins que sabes que funcionam bem, que têm boas críticas dos seus utilizadores, com os quais já tens experiência de utilização e que sabes que correm bem, etc.

É importante conhecer bem os plugins e testares novos plugins sempre que precisares de um novo que nunca tenhas usado, para garantires que vai correr bem e perceberes o seu funcionamento. Não deverás instalar o primeiro que te aparece à frente só porque diz que faz o que queres.

Algumas dicas básicas sobre WordPress

Para terminar deixo algumas dicas essenciais para teres um site em WordPress.

Já descortinámos alguns mitos, procurando explicar-te resumidamente como funciona o wordpress, mas não significa que já sejas um expert capaz de fazer um site assim. Com mais pesquisa pela internet e estas dicas para te ajudar, podes perceber e tomar o caminho certo, se quiseres um site desenvolvido nesta plataforma.

Utiliza apenas plugins se necessário.

Não precisas instalar um plugin cada vez que queres mais qualquer coisinha ou funcionalidade. Um bom tema pode ajudar a ter mais funcionalidades sem necessidade de mais um plugin.

E existem muitas funções simples que se podem acrescentar manualmente no código que ajudam a aliviar a carga de plugins.

Não deves manter plugins que já não usas.

Se não os vais usar deves desinstalá-los. Não estão lá a fazer nada. Mantê-lo instalado é só mais um ponto de entrada no site.

Compra um bom Tema.

Os temas bem programados vão sempre ser mais estáveis e rápidos, e funcionar bem ao longo do tempo porque são constantemente actualizados para serem compatíveis com o WordPress. Temas gratuitos podem não ter as actualizações necessárias, além de que não te dão nada extra em termos de funcionalidades. São mesmo só a “pele” para revestir os conteúdos.

As alterações do Tema têm de ser feitas num Childtheme.

Não alteres nunca a programação do tema. Tens de criar um Chidltheme e fazer as alterações que queres aí. Os bons temas, tal como o WordPress, têm filters, hooks e actions para fazeres as alterações com segurança e sem estragares nada.

Só assim garantes que quando actualizares o tema não perdes as tuas alterações.

E há muito mais que podes aprender em blogs e no próprio site do WordPress.org.

Para todos os efeitos, deverás sempre pedir a opinião ou mesmo ajuda de um profissional para fazer o teu site. Não tentes fazer sozinho o que não sabes ou não compreendes. Se o fizeres investigá-las bem primeiro antes de o fazeres.

Por último faz todas as actualizações do WordPress e no servidor.

O WordPress já anunciou que mais dia menos dia vai deixar de ser compatível com versões de PHP inferiores a PHP 7. Está na altura de pensares em actualizar também o PHP do servidor para que seja mais rápido e seguro. Vê aqui no nosso artigo porque é que o deves fazer e como o deves fazer para que não interfira com o funcionaento do teu site.